MÚSICA É MATEMÁTICA – O UNIVERSO EM PITÁGORAS

Vários estudos na matemática grega eram feitos para descobrir os enigmas do universo. Eram gastas energias acadêmicas intermináveis em busca de alguma prova. Mas foram de Pitágoras os primeiros argumentos a cogitar as leis universais com ajuda da música e da matemática.

Pitágoras descobriu a relação entre as notas musicais em certos intervalos matemáticos que podiam ser medidos num curto espaço de tempo. O mesmo declarou que as leis por traz desses cálculos seriam as mesmas que governavam os movimentos das estrelas e dos planetas.

Estudiosos medievais se agarraram nesta ideia e tentaram produzir um grupo de regras que resultou numa filosofia abrangente até os dias de hoje.

Os estudos pitagóricos sobre a música existem desde 1260. Os objetos científicos eram focados na física e na matemática.

As regras de Pitágoras inspiraram estudiosos a medir precisamente frações das notas musicais dentro de uma oitava. Eles descobriram que dois intervalos (a quarta e a quinta) produziam uma ressonância satisfatória, a mesma harmonia que a matemática de Pitágoras havia previsto.

Neste método, era usado o monocórdio (um dos primeiros instrumentos musicais). Os pitagóricos foram os únicos a fundamentar cientificamente a música começando a desenvolvê-la, o que tornou-os mais preocupados no assunto.

Há quem diga que ao passar frente uma oficina, Pitágoras percebeu que as batidas dos martelos produziam sons agradáveis aos ouvidos e se combinavam. Para pesquisar estes sons, Pitágoras teria esticado uma corda musical que produzia um determinado som que tornou como fundamental o tom. Pitágoras fez marcas na corda que a dividiam em doze secções iguais, este instrumento mais tarde seria chamado de monocórdio, o qual se assemelha a um violão, mas tem apenas uma corda.

Me perdoem, Infelizmente escrivi este texto há dez anos atrás e perdi a bibliográfia. Mas, por tudo que eu aprendi, são informações interessantes. Resolvi compartilhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *